Breaking

Martin Garrix revela estar cansado de tocar Animals

Entrevista / Notícias / 15/08/2014

Em entrevista concedida há Billboard, o jovem dj revelou estar cansado de tocar a música que o colocou na cena.

Muita coisa mudou tanto na carreira como na vida de Martin Garrix após o hit Animals, a sua ascensão precoce lhe rendeu fazer parte dos artistas mais populares da EDM, em entrevista pela Billboard, o jovem talento relata sobre essa mudança.

Da última vez que estive aqui, eu era parte da multidão. Eu estava assistindo outros DJs com meus amigos e eu não tinha idade o suficiente para estar aqui. Este ano eu estou sendo contratado como um artista no palco principal. É uma loucura. É difícil perceber o quanto tem acontecido em apenas um único ano.

Sua fama chegou ao status de não poder andar pela rua sem ser assediado por fãs. Quando viajou para o Panamá para um show, os seguranças tiveram que segurar uma multidão o esperando fora de seu hotel, enquanto sua mãe olhava com medo. Uma fã até o mordeu no pescoço durante um evento recente na Itália.

A mudança mais difícil, no entanto, parece ter sido o tempo gasto longe de sua antiga vida e dos amigos.

Às vezes eu sinto falta das festas de aniversário, que é uma porcaria. Nós temos um chat em grupo e quando saio, eu recebo todas as imagens e então estou viajando sozinho. Naturalmente, você perde algumas pequenas coisas, mas eu não vou reclamar. Vou ver tantos lugares incríveis. Eu conhecer tantas pessoas incríveis. Há uma parte que você tem que deixar para trás.

O entrevistador perguntou se a mudança de cotidiano repentina mudou também a personalidade de Martin.

É uma pergunta difícil de responder a si mesmo, porque as pessoas ao seu redor te conhecem melhor. Eu estou tentando ser normal, mas isso tem uma grande influência sobre a minha vida pessoal. Há algumas coisas que eu não posso mais fazer. Meus pais dizem que tenho de olhar para a minha saúde.

Garrix também menciona o apoio que recebe de outros djs.

É bom porque não há nenhuma competição nesta cena. Todo mundo apoia e ajuda o outro. As lendas como Tiësto e David Guetta testemunharam tudo. Aconteceu para eles também há muito tempo, e eles me ajudam e me certificar de que não cometesse os mesmos erros que eles fizeram. Uma delas foi sobre o desgaste e me disseram: “Toma o seu descanso, por favor;. não faça todos os shows que puder. Não pense em apenas seus fãs, mas também pense sobre si mesmo e sua condição, porque, no final, você é o quem deve tocar cada show, e se você está doente no hospital você tem que cancelá-lo de qualquer maneira.”

O garoto também revela que está trabalhando em alguns projetos paralelos.

Eu gosto de fazer todos os tipos de música, depende do momento. Às vezes tenho vontade de fazer uma track de trap e às vezes não consigo mesmo anexar uma faixa a uma vertente. Agora eu tenho Martin Garrix no house e também tenho alguns projetos paralelos que estou trabalhando sobre os quais ninguém conhece.

Martin Garrix admite que está cansado de Animals e das pessoas o associarem a esta música.

Estou cansado de tocar, mas eu ainda tenho que tocá-la porque as pessoas vêm aos meus shows por causa de essa faixa. Tenho tantas faixas além de Animals e, claro, cada DJ se cansa de tocar suas próprias músicas se a toca muito. Trabalhei em Animais e todas as entrevistas que eu faço é sobre ela. Estou super agradecido por quanto essa faixa tem feito por mim, mas eu estou apenas super animado com as outras coisas que saem.

Descoberto pela Spinnin’ Records, o holandês ficou chateado com as inúmeras acusações de haters o dizendo que ele usa ghost.

É claro que fiquei chateado. Tinha acabado de me formar a partir de um curso de dois anos e meio para obter meu diploma de produtor. A primeira parte eu mesmo fiz e então eu fiz um estudo de engenharia de áudio para aprender mais, e, em seguida, alguns idiotas na Internet dizem, “Sim, ele usa ghost producer”.

Por último, o entrevistador fala sobre a perda de um dos amigos do Garrix que morreu no vôo MH17 do Malaysia Airlines, a qual o avião foi abatido por um míssil sobre o leste da ucrânia mês passado, quando se toca no assunto Martin fica com uma voz quase que silenciosa.

Ele estava no avião com toda sua família e eu chorei muito, porque ele era tão jovem. Ele estava estudando medicina e eu fiz uma das minhas primeiras músicas junto com ele. É em momentos como esse que você percebe o quão abençoado você é e, como louco e quão rápido as coisas inesperadas podem acontecer. Ele desapareceu e isso faz você perceber que se deve aproveitar cada dia.


Tags:, ,








Post anterior

Lonczinski lança música em parceria com o SENAI

Próximo Post

Será esse o futuro da discotecagem?





Também recomendamos


Mais Histórias

Lonczinski lança música em parceria com o SENAI

Com uma parceria inusitada, brasileiro faz música utilizando sons de indústrias Enquanto muitos criticam a música eletrônica...

13/08/2014